Nacional

Médico violador continua a exercer

Aliesky Aguilera violou cinco pacientes. Tribunal de Ponta Delgada condenou o clínico cubano a pena de prisão, mas não o proibiu de trabalhar.

Aliesky Aguilera foi condenado no início do ano passado a seis anos de prisão por cinco crimes de violação a mulheres nas Urgências do hospital do Divino Espírito Santo, em São Miguel nos Açores. No entanto, a pena aplicada no Tribunal de Ponta Delgada trazia uma benesse para o médico cubano de 37 anos: a juíza não aplicou a proibição do exercício da profissão, alegando que teria de ser a Ordem dos Médicos a fazê-lo “caso assim o entenda”.

O clínico não foi suspenso e continua inscrito na Ordem, estando a exercer medicina no Continente.

Origem
Sábado
Mostrar Mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close