Tecnologia

Facebook processado por violação de privacidade ao ceder dados à Cambridge Analytica

O procurador-geral de Washington, Karl Racine, avançou com um processo contra o Facebook, em causa está o acesso que a empresa de consultoria política Cambridge Analytica teve a dados privados de dezenas de milhões de utilizadores desta rede social.

A notícia foi avançada pelo New York Times, que já esta semana tinha revelado que a Netflix e o Spotify tiveram acesso a mensagens dos utilizadores do Facebook.

Esta é, segundo o jornal norte-americano, a primeira vez que a rede social criada por Mark Zuckerberg é processada por violação de privacidade por um procurador-geral.

“O Facebook não protegeu a privacidade dos seus utilizadores e enganou-os sobre quem tinha acesso aos seus dados e sobre como esses dados eram usados”, lê-se no comunicado assinado pelo procurador de Washington, Karl Racine.

Em abril deste ano, uma fonte do Facebook tinha admitido à agência Lusa que a Cambridge Analytica pode ter tido acesso a dados de mais de 60 mil utilizadores registados em Portugal.

Na altura, a solução encontrada pela rede social foi a de convidar os utilizadores a alterarem as suas políticas de privacidade e segurança, esperando assim que a situação não se repita.

No total, cerca de 87 milhões de pessoas no mundo foram afetadas pelo acesso ilegal da Cambridge Analytica aos seus dados pessoais.

Origem
SOL
Mostrar Mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close