Sociedade

Mariana Morais. “Voltar a ter 20 anos não é possível, mas é possível retardar o envelhecimento”

Mariana Morais lançou esta segunda-feira, em Lisboa, o livro  “Anti-aging: A Estratégia Para Reverter o Envelhecimento”. O livro é um guia que o ajuda a envelhecer melhor, parecer mais jovem e aproveitar a vida 

Os sinais do envelhecimento são uma realidade. Como se pode identificá-los e a partir de que idade?

É variável, mas geralmente nas mulheres entre os 35 e 40 anos podem começar a surgir os primeiros sinais – sentir-se mais cansadas, com menos motivação, maior ansiedade do que o normal. Quando vamos fazer análises já encontramos uma diminuição ligeira das hormonas. Estamos a envelhecer porque as nossas glândulas – que produzem hormonas – estão a ficar um bocadinho mais cansadas, logo estão a produzir em menos quantidade. Daí que vamos ter alguns sintomas normais do envelhecimento. Ou seja, não vejo pessoas que estão doentes. Nos homens os sintomas aparecem geralmente a partir dos 50 anos.

Procuram-na sobretudo pela parte estética?

Sim, porque a minha área principal é a medicina estética. Cada vez mais para maximizar os resultados com os tratamentos de medicina estética tenho que aliar o anti-aging. Os resultados dos tratamentos vão ser muito melhores e acabam por fazer menos tratamentos. Comecei a estudar o anti-aging porque percebi que, e há uma frase no livro que resume um bocadinho isso, os sinais de envelhecimento que surgem são apenas a ponta do iceberg. Isto significa que por dentro já há alguma coisa que não está tão bem. Não estou a falar de doenças nem de nenhuma emergência médica. Temos que ver por dentro o que é que está a acontecer para melhorar e maximizar os resultados dos tratamentos de estética. Mas tenho alguns clientes que primeiro querem tratar a parte interna e depois avançam para a parte estética. De qualquer maneira em qualquer um dos motivos incorporo sempre no plano os tratamentos de medicina estética juntamente com o estudo do anti-aging: análises, alimentação, se está a fazer exercício, hábitos de sono e depois faço um plano de suplementação conforme os sintomas e resultados das análises.

O envelhecimento é que não conseguimos evitar, mas não temos de nos conformar com ele. Há formas de o retardar?

O processo de reverter ou evitar envelhecimento é impossível. O que é possível é melhorar os sintomas que vão aparecendo com a idade. Com a medicina anti-aging conseguimos proporcionar uma suplementação com hormonas bioidênticas, fazer um plano de alimentação e exercício adequado de maneira a envelhecer de forma mais saudável e com uma maior capacidade cognitiva e motora. 

Como se processa todo o tratamento anti-aging? Qualquer pessoa pode fazê-lo?

Primeiro faço uma consulta para tentar perceber que sintomas de envelhecimento estão a aparecer. A partir daí faz-se o exame físico. Depois fazemos uma repetição das análises e uma segunda consulta. Vamos ver que hormonas é que já estão a diminuir. Quando detetamos esses sintomas fazemos um plano de suplementação com hormonas bioidênticas. Estas não vão provocar efeitos secundários, os únicos problemas que podem surgir é se estamos a dar uma dose excessiva ou se o produto não tem qualidade. Além disso, também suplementar vitaminais ou minerais que verifiquemos que nas análises estejam diminuídos. Têm ainda uma orientação de nutrição, porque sem a alimentação correta nada tem resultado. Depois, ao fim de cerca de 3 a 4 meses voltamos a fazer análises para ajustar a dose, para fazer um plano final. A partir daí começamos a avaliar entre 6 a 9 meses, sempre com recurso a análises. 

As hormonas são de facto importantes. Mas que tipo de papel podem desempenhar?

Cada hormona tem a sua função, todas atuam em conjunto e são exatamente iguais nos homens e nas mulheres. Temos é hormonas que estão numa concertação mais alta nos homens ou nas mulheres. Para dar exemplo, a progesterona é das primeiras hormonas que vai começando a diminuir na mulher e que pode dar uma maior ansiedade, algum acne, irritabilidade, alterações de humor. No homem tem a ver com a diminuição da testosterona e do DHA. Depois temos o cortisol, que é importante para a resposta natural do corpo ao stress. 

Todas a hormonas podem ser substituídas?

Sim, com a tal hormona bioidêntica.

É essa substituição que vai ajudar a retardar um bocadinho o envelhecimento?

É melhor dizer que melhora os sinais do envelhecimento. Retardar sim, porque vamos estar a prevenir muitas situações de perda do uso natural do corpo. Voltar a ter 20 anos é que não é possível.

Com a avançar da idade os homens e as mulheres vão perdendo um bocadinho a libido, o que aconselha a fazerem para contornar essa situação?

Nunca faço nenhum plano sem ter o registo das análises de cada pessoa. Geralmente o que vai diminuindo, quando a pessoa refere a diminuição da libido, é a testosterona. Esta hormona é das mais importantes para termos vontade de ter relações sexuais.

Tanto nos homens como nas mulheres?

Sim. Na mulher é um bocadinho mais complexo e também tem a ver com outras hormonas. Por exemplo, se o estrogénio e progesterona estão muito baixas, provavelmente vai ter uma vagina mais seca e aí o ter relações pode doer, havendo uma diminuição da libido só de imaginar que vai ter dor. As mulheres têm uma diminuição muito mais precoce que o homem e muito menos libido do que o homem, porque o homem tem uma concentração de 10 a 15 vezes mais alta de testosterona que as mulheres. Basta começar a diminuir nas mulheres que rapidamente começam a sentir uma diminuição da libido. E muitas vezes não falam disso, mas eu própria abordo o assunto e quase todas referem que poderiam estar melhor nessa área. Nos homens já acontece mais tarde.

Quando isto acontece, também pode estar relacionado com a menopausa?

O termo que se implica aqui de menopausa, em termos de medicina, é quando os valores já estão muito baixos. No anti-aging atuamos bastante mais cedo. O ideal, é começarem a repor as hormonas por volta dos 35, 40 anos que é quando começa a haver diminuição. Claro que a mulher vai entrar na mesma na menopausa, porque nós, mulheres, nascemos com um número limitado de óvulos, que vão sendo libertados ao longo da vida. Mas, pelo menos, vamos atrasando um pouco os sintomas e, quando chega essa altura, geralmente, as análises mostram uma quebra maior dessas hormonas e nós suplementamos com uma dose um bocadinho acima, de maneira a que não haja essa sintomatologia.

Por exemplo, nos homens, há uma altura em que têm de tomar viagra. Este tipo de tratamento pode ajudá-los a deixar de tomar o medicamento?

Quando os homens estão a fazer viagra, se for por uma orientação médica viável, geralmente pode haver ali patologia em termos cardiovascular. Ou seja, o que faz o pénis ter ereção é a circulação de sangue daquela zona aumentar. Por isso, aí é preciso sempre despistar e perceber se existe uma patologia. Aqui não é tanto uma questão hormonal, ou seja, existe um problema, uma doença de base. No anti-aging, quando as pessoas se queixam mais dessa parte, tem a ver com a diminuição do libido, ou seja, a vontade de ter relações. Quando se repõe a testosterona, eles voltam a ter essa libido. Se não há patologia, claro que chega haver esta reposição hormonal. E muitas vezes, ouvimos falar de casos de jovens que fazem isso e que no fundo não precisavam porque eles não têm patologia nenhuma. Precisam, provavelmente, é de testosterona.

Quanto à alimentação. Como pode melhorar os sintomas do envelhecimento? 

Sem uma boa alimentação mina-se logo os resultados da suplementação. Tudo o que são açucares refinados vão diminuir a produção hormonal. Depois temos a outra parte que é preocuparmo-nos em inserir alimentos que tenham gordura saudável para continuarmos sempre a produzir as nossas hormonas.

E as bebidas alcoólicas são proibidas neste plano alimentar? 

Acho que nós temos de apreciar a vida e sei que isto são coisas que dão prazer. Costumo dizer que há o dia da asneira, ou dois dias no máximo, mas depois temos de ter a obrigação de tratar de nós. Durante a semana temos esse cuidado e deixar os dias da asneiras para o fim de semana.

Acha que estes tratamentos são o futuro da medicina estética?Vai ser possível mudar sem recorrer à cirurgia plástica? 

Não, a cirurgia vai fazer sempre parte da estética. Isto se a pessoa quiser mais resultados. Há aspetos que surgem, principalmente a flacidez, que se a pessoa quiser ainda mais resultado precisa de fazer cirurgia, para esticar a pele. No anti-aging estamos a repor a parte interna, a pele vai ficar muito mais saudável, mais luminosa. Depois, com a medicina estética fazer os tratamentos de reposição de volumes que vamos perdendo.

A Mariana já fez estes tratamentos anti-aging? 

Eu própria comecei a estudar o anti-aging por minha causa. Ali por volta dos 36 anos comecei a sentir coisas que não me agradavam nada. Em termos estéticos, para mim, achava que estava bem, porque já fazia os tratamento de medicina estética, mas por dentro não estava a sentir diferença, estava a começar a sentir-me mais cansada, mais ansiosa. Também não recuperava tão bem das viagens que faço para frequentar os cursos e congressos lá fora. Foi numa destas viagens que fiz que ouvi falar pela primeira vez no anti-aging. Foi há nove anos. E fiquei fascinada porque explicava todos os sintomas que estava a ter. Comecei a estudar e a implementar. No inicio foi complicado, porque era difícil arranjar estes suplementos, mas agora já é muito mais fácil. 

Acha que conseguiu descobrir o segredo para a eterna juventude?

Não, porque não posso voltar a por as pessoas com 20 anos, o nosso corpo vai envelhecer na mesma. O objetivo é mesmo mostrar que é possível envelhecermos mais felizes, com uma capacidade cognitiva melhor para apreciar a vida que vamos tendo pela frente. Não posso atrasar o envelhecimento, mas sim ficar com um aspeto mais bonito, saudável e forte. É esse o objetivo.

Origem
Jornal i
Mostrar Mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close